Gato idoso é expulso de casa e anda até não conseguir dar mais nenhum passo.

Aviso: algumas das imagens abaixo podem ser perturbadoras para alguns leitores.

- Anúncio -

Alguns gatos são abandonados muito antes de acabarem nas ruas.

De acordo com um post feito pela Animal Advocates Rescue Society, o dono de Ozzie desistiu dele enquanto ele ainda tinha um lar para morar. Embora o animal vivesse na casa, ele era um retrato da negligência – predominantemente pele, ossos, dentes podres e coração partido em pedaços.

Ele era um gato sem-teto que, pelo menos fisicamente, tinha um lar. Isto é, ele o dono dele decidir expulsá-lo de casa também.

Num certo momento, o gato de 15 anos foi largado nas ruas de North Vancouver, Colúmbia Britânica, por conta própria, afirma a Animal Advocates Society.

Porém, o pelo dele estava tão emaranhado que doía até para ele caminhar. Eventualmente, ele deitou sob uma varanda. Foi onde os resgatadores o encontraram.

- Anúncio -

Os pelos entre as pernas do pobre Ozzie estavam tão apertados que chegavam a causar dor“, afirmou o grupo num post do Facebook. “Quem sabe o quanto ele sofreu para caminhar até desistir e enfiar-se debaixo daquela varanda?”.

Descobrimos que Ozzie estava nas ruas há poucos dias, o que significava que ele havia chegado àquele estado enquanto ainda estava sob cuidados do dono”, acrescenta o grupo. “O dono dele sequer tentou encontrá-lo”.

E então, talvez pela primeira vez na vida, Ozzie tornou-se o centro das atenções.

A organização o levou até um veterinário, onde ele passou por uma bateria de testes. Ozzie foi tosado e, finalmente, livrou-se daquela pelagem nefasta. Ele também recebeu os cuidados odontológicos de que tanto precisava.

Animal Advocates

O tratamento final e mais crucial que Ozzie recebeu foi para seu coração ferido. Uma mulher entrou em ação para cuidar dele temporariamente – e não demorou muito para o órgão mais vital dele sarar.

- Anúncio -

Ele me segue por toda parte e fala o tempo todo”, disse a mãe adotiva temporária dele à Animal Advocacy Rescue Society. “Ele fica sentado comigo no sofá e ama o cobertor. Se eu paro de acariciá-lo, ele toca minha bochecha com a pata, sendo cuidadoso para não arranhar. Ele é muito querido”.

Na verdade, Ozzie provou ser fofo demais para ficar sozinho de novo. Sua família temporária tornou-se sua família eterna. E, embora tenha levado 15 anos, ele finalmente descobriu o que é ser desejado.

Animal Advocates

Você pode ler mais a respeito da incrível jornada de recuperação de Ozzie here.

FONTEIHeartCats